Novidades BioMed

Traduzir para o inglês é a solução

Você sabe quanto idiomas são falados no mundo todo? Sim, é realmente uma conta muito alta de ser fazer, afinal, encontramos não somente idiomas diferentes como variações de um mesmo idioma, dialetos e tantos outros mais que fazem com que a comunicação humana seja muito rica. Isso é ótimo em termos de cultura, porém, complica um pouco mais para atingirmos pessoas de diversas nacionalidades, com artigos científicos. Por isso, adotar o inglês é a solução.

As diversas variações dos idiomas no mundo

Pela herança de cada povo através de seus ancestrais e da influência de colonizadores e viajantes, cada nação hoje possui o seu idioma. Alguns são falados em países distintos, como o inglês, o português, o espanhol e o francês, mas alguns são restritos a certos países. Dessa maneira, a comunicação ao redor do mundo se dá através de codificações diferentes da linguagem.

Essa diversidade de idiomas consiste numa riqueza cultural extensa para humanidade, porém, em termos de comunicação ela dificulta o entender entre as pessoas. Ao viajar para o Japão, por exemplo, para podermos nos comunicar precisamos ou saber falar japonês ou depender de algum japonês falar português. Complicado, não é verdade?

Foi dessa complicação e também de fatores como a globalização e a o poder econômico, que o idioma inglês passou a ser utilizado como o idioma universal, ou seja, ele é falado e conhecido em todos os cantos do mundo.

Por que o inglês é sempre a melhor opção?

Como falamos acima, em todo o mundo existem idiomas variados e isso dificulta atingir todas as pessoas. Com o desenvolvimento industrial e a globalização advinda dos processos, o idioma inglês passou a ser adotado em todo o mundo como uma forma de comunicação universal. Assim, para se comunicar mais facilmente com pessoas de todo o mundo, a opção é falar em inglês, quando temos mais chance de sermos compreendidos do que em português.

Essa regra também se dá para a comunicação científica. Ao reproduzir um artigo científico a solução para conseguir alcançar um maior número de pessoas é fazer a tradução desse artigo para o inglês, pois sendo esse o idioma universal, então o artigo terá maiores chances de ser lido por pessoas do mundo todo.

Não importa a área de conhecimento, a adoção do inglês como padrão para o artigo científico permite que o autor possa se comunicar com autoridades do setor de todas as nacionalidades. Além disso, adotar o inglês também facilita a busca pelo tema e favorece a repercussão do artigo, porque as pesquisas, na maioria das vezes, são realizadas nesse idioma.

Certamente quem produz um artigo científico espera que esse artigo seja visualizado e estudado no mundo todo, mas imagine o trabalho, o gasto e a complicação que seria traduzir para diversos idiomas? Tudo isso demandaria um esforço grande em termos econômicos e também de busca por profissionais que dominassem cada um dos idiomas com fluência para poder fazer a tradução do artigo.

Mas, ao optar pelo inglês fica muito mais fácil de atingir a todos, resume-se a tradução do artigo a um idioma, e com isso, pode-se escolher o melhor periódico para fazer a publicação do artigo, que é visualizado por pessoas do mundo todo, e assim, com a adoção do idioma universal e escolhendo do melhor periódico, o artigo certamente será lido por um número muito grande de profissionais, estudiosos e pesquisadores da área, além de estudantes e pessoas interessadas no assunto.

Mas lembre-se do essencial: ainda que o artigo seja muito bom e aborde um tema interessante, é importante fazer a tradução fiel ao artigo sem esquecer de ser fiel ao idioma e termos empregados. Por isso, para traduzir o seu artigo, opte por uma empresa com especialistas no assunto, para que seu trabalho possa ter a qualidade exigida pelos melhores periódicos, sem distorções, ambiguidades ou erros na tradução.

Comments are closed.